Para atualizações gratis via email: DIGITE SEU EMAIL:

domingo, 8 de maio de 2011

O busto-relicário de Carlos Magno, Patriarca da Europa (741-814)

O papel de Carlos Magno como autêntico edificador da Europa católica é ímpar, tendo ele lançado os fundamentos das nações européias mediante a fundação de um Império que veio a se tornar o Sacro Império Romano Alemão.

Deste patriarca da civilização européia e, mais especialmente, dos povos de língua germânica, conserva-se um busto-relicário na cidade de Aquisgrão.

Convêm lembrar que em certas dioceses do Norte da Europa está permitido o culto nas igrejas a esse imperador como Beato Carlos Magno, e se veneram suas relíquias.

No ano 800, o Papa Leão III recebeu Carlos Magno em Roma, e o proclamou Imperador Romano do Ocidente.

Com o Sacro Império de Carlos Magno nasceu a Europa como unidade de civilização, a Europa católica.

Seu poder, sua grandeza e sua glória eram reconhecidos além de suas fronteiras. Ele foi o árbitro supremo de toda a Europa cristã, o sustentáculo da Idade Média.


Carlos Magno foi o açoite de todos os povos idólatras e o amparo dos povos tementes a Deus.

O Papa era o Senhor de Roma, e Carlos Magno seu protetor.

A Cristandade tinha duas cabeças: uma espiritual, o Papa; e outra temporal, o Imperador.

Este administrou seus domínios através de enviados especiais, os missi dominici (enviados do senhor), um eclesiástico e um secular para cada condado. Eles recebiam os impostos e aplicavam as decisões de arbitragem.

Nesse período imperial, verificou-se um apogeu cultural em numerosas áreas: a literatura, a música, a filosofia, a teologia, as ciências, a arte decorativa, a arquitetura e a indústria têxtil.

Além disso, reinou grande pujança econômica em todos os níveis do Império carolíngio.

Carlos Magno pode ser considerado um predileto da Providência Divina, promotor dos princípios cristãos e cuja atuação constituiu um marco na História da civilização ocidental.

Faleceu em 814, no 46º ano de seu reinado.


(Fonte: Plinio Corrêa de Oliveira, “Catolicismo”, dezembro 1996).



Desejaria receber gratuitamente 'Jóias e símbolos medievais e símbolos medievais' em meu e-mail



GLÓRIA CRUZADAS CASTELOS CATEDRAIS HEROIS CONTOS CIDADE
Voltar a 'Glória da Idade MédiaAS CRUZADASCASTELOS MEDIEVAISCATEDRAIS MEDIEVAISHERÓIS MEDIEVAISCONTOS E LENDAS DA ERA MEDIEVALA CIDADE MEDIEVAL

Nenhum comentário: